Artigos

“Enquanto isso, no Planalto…”, por Wagner Inácio
11/06/2015

(uma estória de pura ficção, que poderia ocorrer em qualquer lugar e tempo – apenas para descontrair no meio de tanta notícia pesada)Imagem texto Wagner Inácio slide

 

Voz do além: Companheiros, precisamos criar um plano para fazer o Brasil voltar a crescer. Nunca antes na história deste país estivemos tão “mau” na economia!

Levítico: Mal, nesta sentença, é com “L”, Voz.

Voz do além: tô falando, num tô escrevendo.

Marqueteiro: vamos criar um plano de concessões dos portos, aeroportos, ferrovias e rodovias.

Barbarosa: o que é concessão?

Gilma: quanta ignorância…… é a funcionária do marqueteiro, a Conceição. Marqueteiro, qual é o plano da Conceição para portos, aeroportos, ferrovias e rodovias, afinal?

Marqueteiro: eh, presidente, uma concessão, não a Conceição.

Presidente: Presidenta, por favor! Concessão ou Conceição, é questão de semântica. Adiante…

Voz do além: Companheiros, vamos na Conceição!

Marqueteiro: Concessão….. Bem, o plano seria injetar, através do BNDES, mais de 190 bilhões de reais na reestruturação de vários modais de transporte, e conceder tais modais para a iniciativa privada, que arremataria em leilão, fazendo, assim, caixa para o superávit.

Gilma: Marqueteiro, ajuda pô! Você disse que era um plano para portos, aeroportos etc…. e me vem com moda? Nós não vamos gastar dinheiro com moda, já imaginou no jornal, com a voz do Bonner (aí meu Deus!!!): Governo Federal investe 190 bilhões de reais na São Paulo Fashion Week.

Levítico: Não, presidente! Modais são os sistemas de transporte, exatamente os portos, aeroportos, ferrovias e rodovias.

Gilma: Presidenta, por favor Levítico! Tudo bem, não sou tão versada assim em inglês, prefiro o italiano.

Barbarosa: Mas então vamos privatizar?

Levítico: Pois é!

Gilma: Não, não pode! Isso é coisa do FHC e do Aécio!

Marqueteiro: Não! A concessão é temporária, colocamos uns 50 anos, é quase que privatizar, mas teremos uma válvula de escape.

Gilma: Ah, então também vamos fazer a tal da Conceição no Mais Médico, e privatizar para Cuba? As válvulas de escape terão de vir de lá! Não abro mão!

Voz do além: Isso companheira Gilma! Não abra mão de Cuba! Já, já lançaremos nosso foguete de lá!

Levítico: quero ver Cuba lançar….

Marqueteiro: Não meus caros, a válvula de escape será que não usaremos, nunca, a palavra privatizar, mas sim conceder. Assim, não haverá risco de descontentamento da base.

Gilma: Tudo bem, tudo bem. Pura questão de semântica, mais uma vez.

Marqueteiro: Não, presidente….peraí, eh, eh, isso mesmo!!! Agora tá certo!!!

Gilma: Senhor Marqueteiro, presidenta, por favor!!!

Barbarosa: Esta tal da conceição…

Marqueteiro: Concessão.

Barbarosa: tenho língua presa. Concessão. Esta tal concessão será bancada com o dinheiro do BNDES, mas de onde o BNDES vai tirar o dinheiro?

Gilma: Do Tesouro Nacional, claro!

Barbarosa: E este tal de tesouro, vai tirar o dinheiro de onde?

Gilma: Ora, ora Barbarosa, de onde vem o dinheiro? Heim, heim?

Barbarosa: não sei.

Gilma: É claro que é da gráfica, aquela que imprime as notinhas novinhas.

Levítico: não, presidente! É necessária uma fonte de custeio para o Tesouro!

Gilma: Levítico, é presidenta, p*rra!!! Leviticozinho, uma fonte até que ficaria bonita, aqui na frente do Planalto, mas não pegaria bem numa hora destas. Deixa pra depois da olimpíada.

Levítico: Eh, bem, é que o Tesoura Nacional é abastecido pelos impostos!

Gilma: Então, Leviticozinho, prepara mais um pacotinho de ajustinho fiscalzinho e vamos fazer a conceição do Marqueteiro. Vai já para o seu gabinetezinho fazer o dever de casa!

Marqueteiro: Concessão.

Gilma: chaaaaaatooooooo!!!

Levítico sai devagar…

Marqueteiro: Mas um novo ajuste?? O povo vai reclamar!

Voz do além: precisamos de um Judas.

Gilma: Ei, Leviticozinho, volta aqui!!!!

 

WagnerInacio2

 

  * Wagner Inácio Freitas Dias é advogado e professor universitário. 

  Instagram: @wagnerinacio

 

comente a notícia
LEIA TAMBÉM

Artigos

“Enquanto isso, no Planalto…”, por Wagner Inácio

(uma estória de pura ficção, que poderia ocorrer em qualquer lugar e tempo – apenas para descontrair no meio de tanta notícia pesada)Imagem texto Wagner Inácio slide

 

Voz do além: Companheiros, precisamos criar um plano para fazer o Brasil voltar a crescer. Nunca antes na história deste país estivemos tão “mau” na economia!

Levítico: Mal, nesta sentença, é com “L”, Voz.

Voz do além: tô falando, num tô escrevendo.

Marqueteiro: vamos criar um plano de concessões dos portos, aeroportos, ferrovias e rodovias.

Barbarosa: o que é concessão?

Gilma: quanta ignorância…… é a funcionária do marqueteiro, a Conceição. Marqueteiro, qual é o plano da Conceição para portos, aeroportos, ferrovias e rodovias, afinal?

Marqueteiro: eh, presidente, uma concessão, não a Conceição.

Presidente: Presidenta, por favor! Concessão ou Conceição, é questão de semântica. Adiante…

Voz do além: Companheiros, vamos na Conceição!

Marqueteiro: Concessão….. Bem, o plano seria injetar, através do BNDES, mais de 190 bilhões de reais na reestruturação de vários modais de transporte, e conceder tais modais para a iniciativa privada, que arremataria em leilão, fazendo, assim, caixa para o superávit.

Gilma: Marqueteiro, ajuda pô! Você disse que era um plano para portos, aeroportos etc…. e me vem com moda? Nós não vamos gastar dinheiro com moda, já imaginou no jornal, com a voz do Bonner (aí meu Deus!!!): Governo Federal investe 190 bilhões de reais na São Paulo Fashion Week.

Levítico: Não, presidente! Modais são os sistemas de transporte, exatamente os portos, aeroportos, ferrovias e rodovias.

Gilma: Presidenta, por favor Levítico! Tudo bem, não sou tão versada assim em inglês, prefiro o italiano.

Barbarosa: Mas então vamos privatizar?

Levítico: Pois é!

Gilma: Não, não pode! Isso é coisa do FHC e do Aécio!

Marqueteiro: Não! A concessão é temporária, colocamos uns 50 anos, é quase que privatizar, mas teremos uma válvula de escape.

Gilma: Ah, então também vamos fazer a tal da Conceição no Mais Médico, e privatizar para Cuba? As válvulas de escape terão de vir de lá! Não abro mão!

Voz do além: Isso companheira Gilma! Não abra mão de Cuba! Já, já lançaremos nosso foguete de lá!

Levítico: quero ver Cuba lançar….

Marqueteiro: Não meus caros, a válvula de escape será que não usaremos, nunca, a palavra privatizar, mas sim conceder. Assim, não haverá risco de descontentamento da base.

Gilma: Tudo bem, tudo bem. Pura questão de semântica, mais uma vez.

Marqueteiro: Não, presidente….peraí, eh, eh, isso mesmo!!! Agora tá certo!!!

Gilma: Senhor Marqueteiro, presidenta, por favor!!!

Barbarosa: Esta tal da conceição…

Marqueteiro: Concessão.

Barbarosa: tenho língua presa. Concessão. Esta tal concessão será bancada com o dinheiro do BNDES, mas de onde o BNDES vai tirar o dinheiro?

Gilma: Do Tesouro Nacional, claro!

Barbarosa: E este tal de tesouro, vai tirar o dinheiro de onde?

Gilma: Ora, ora Barbarosa, de onde vem o dinheiro? Heim, heim?

Barbarosa: não sei.

Gilma: É claro que é da gráfica, aquela que imprime as notinhas novinhas.

Levítico: não, presidente! É necessária uma fonte de custeio para o Tesouro!

Gilma: Levítico, é presidenta, p*rra!!! Leviticozinho, uma fonte até que ficaria bonita, aqui na frente do Planalto, mas não pegaria bem numa hora destas. Deixa pra depois da olimpíada.

Levítico: Eh, bem, é que o Tesoura Nacional é abastecido pelos impostos!

Gilma: Então, Leviticozinho, prepara mais um pacotinho de ajustinho fiscalzinho e vamos fazer a conceição do Marqueteiro. Vai já para o seu gabinetezinho fazer o dever de casa!

Marqueteiro: Concessão.

Gilma: chaaaaaatooooooo!!!

Levítico sai devagar…

Marqueteiro: Mas um novo ajuste?? O povo vai reclamar!

Voz do além: precisamos de um Judas.

Gilma: Ei, Leviticozinho, volta aqui!!!!

 

WagnerInacio2

 

  * Wagner Inácio Freitas Dias é advogado e professor universitário. 

  Instagram: @wagnerinacio

 

Publicado dia: